Adryenne Cristinni de Oliveira Andrade e Lizandra Carla Pereira de Oliveira cursaram Engenharia de Produção Agroindustrial na Universidade do Estado de Mato Grosso, Campus de Barra do Bugres entre os anos de 2010 e 2016. Atuaram como bolsista de Iniciação Científica desenvolvendo atividades de pesquisa do Programa de Pesquisa e Extensão “BB Água Limpa”, coordenado pelo Professor Dr. Tadeu Miranda de Queiroz.

Atualmente Adryenne faz mestrado em Engenharia de Produção, junto a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). O artigo At the edge of the river and society: water quality in a quilombola community in the state of Mato Grosso foi publicado no volume 26, nº 3 da Resista Saúde e Sociedade (S&S), a qual possui circulação internacional de alto impacto científico com Qualis-Capes A1 nas áreas de Ensino e Ciência Política e Relações Internacionais.

Adryenne e colaboradores avaliaram a qualidade da água consumida pelas famílias das comunidades Baixius e Morro Redondo, situadas no Assentamento Vão Grande, inserido no município de Barra do Bugres, a 150 quilômetros da capital do estado, por meio de parâmetros microbiológicos. Inicialmente, foi realizado contato prévio com a comunidade para apresentação do projeto e seus objetivos. Os resultados apontaram para contaminação das amostras analisadas, em todo o período e em quase todas as amostras, o que considerou preocupante. Ao final do projeto, a equipe responsável elaborou um relatório dos resultados obtidos com a pesquisa, o qual foi apresentado aos moradores das comunidades Baixio e Morro Redondo, acompanhado de orientações sobre práticas acessíveis para a redução da contaminação microbiológica da água. Os autores concluíram que a implementação de políticas públicas pelas autoridades locais competentes torna-se primordial para reverter esse quadro. Ações interdisciplinares conjuntas, nos setores de gestão de recursos hídricos, saneamento básico, habitação e saúde são ações necessárias para melhoria da qualidade de vida dessa comunidade quilombola.

O trabalho em tela teve a participação das Alunas Fernanda da Silva Ferreira e Thaís Vasconcelos da Silva, ambas do Mestrado do Programa de Pós Graduação em Ambiente e Sistemas de Produção (PPGASP) da UNEMAT.

Já Lizandra concluiu o curso de mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos (PPGCTA) pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso - IFMT, com ênfase em Qualidade de Alimentos e Desenvolvimento de Novos Produtos. Também é especialista em MBA em Administração e Qualidade pelo Centro Universitário Internacional - UNINTER. Tem experiência nas áreas de análises de alimentos, de água e reológicas (classificação de fluidos, viscosidade, modelos reológicos), extração de óleos (Sohxlet) e desenvolvimento de novos produtos (origem animal). Atualmente é docente e membro do Núcleo de Docentes Estruturantes (NDE) na Faculdade de Ciências Sociais de Guarantã do Norte - MT (UNIFLOR), nos cursos de Farmácia e Enfermagem.

O artigo Water quality in Vão Grande quilombola communities, municipality of Barra do Bugres (MT) foi publicado no volume 23, nº 1 da Resista de Engenharia Sanitária e Ambiental (RESA) da Sociedade Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES). A RESA é uma revista de circulação internacional de alto impacto científico com Qualis-Capes A2 na área de Ciências Ambientais. Lizandra e colaboradores analisaram a qualidade da água consumida pelos moradores das comunidades Morro Redondo e Baixios do assentamento quilombola da localidade Vão Grande, Município de Barra do Bugres, Mato Grosso, e os potenciais riscos à saúde da população. A coleta de amostras de água, nas fontes utilizadas pelos moradores, ocorreu entre julho de 2013 e abril de 2014, com coletas mensais. Ao final da pesquisa conclui que as variáveis alcalinidade e pH apresentaram valores mínimos abaixo do esperado e as variáveis turbidez e condutividade elétrica apresentaram valores máximos acima do permitido. De modo geral, as fontes de água avaliadas apresentaram boa qualidade, não oferecendo risco potencial à saúde dos moradores. Porém, para um consumo seguro, recomenda-se pelo menos filtração e desinfecção.

0
0
0
s2smodern